Dicas

Como degustar vinho corretamente?

Pense na cena: taça segurada pela haste ou pela base. Pouco líquido dentro dela. Caras, bocas, biquinhos, assopros, taças sendo giradas, gestos afetados, cusparadas. Semblantes de grande satisfação.

Visualizou?

Pois bem. Estes são alguns dos trejeitos, que nós simples mortais, reparamos nos profissionais que fazem degustação de vinhos. Para quem vê pela primeira vez, isto pode ser lido como algo orquestrado, repleto de exageros propositais.

No entanto, para os enólogos, não é nada disso, mas sim um longo ritual em que cada etapa é necessária, pois, segundo eles, permite a avaliação correta da bebida, como, por exemplo, sentir o seu aroma, apreciar textura, distinguir traços frutados dos amadeirados, e assim por diante.

Agora, pense no seguinte: no conforto de nossos lares, comumente seguramos a taça de qualquer maneira e vamos logo ingerindo uma golada da bebida, especialmente se o rótulo for de nossa preferência. Daí, muitas vezes, vem aquela queimação na garganta e não sentimos todas as notas, o corpo, a maciez, ou robustez da bebida – elementos de que tanto os profissionais falam.

Comparando os dois contextos, já deu para perceber que tem alguma coisa fora do lugar, não é verdade? E se você, assim como tantos outros, também não consegue identificar elementos contidos em um copo. O pior: não conseguimos distinguir se a bebida é ou não de qualidade.

Pois bem. Para acabar com ideia de que a degustação é algo ensaiado, ou com a certeza de que fazemos a ingestão de maneira equivocada, vamos mostrar de maneira bem simples o passo a passo de como degustar vinho corretamente, para que você consiga saborear cada vez mais o elixir dos deuses. Vamos lá!

4 passos para saber como degustar vinho corretamente

1o Passo

Para se tornar um especialista em como degustar vinho corretamente, o primeiro passo é saber como segurar a taça. Ela deve ser manuseada ou pela haste ou pela base.

Ou seja, já erramos quando a manuseamos pelo seu corpo, já que isto aquece a bebida, além de deixar marcas de dedos no vidro (algo que pode sim prejudicar a apreciação visual do líquido).

Em seguida, observe o vinho e incline o copo contra um fundo branco, para que seja possível avaliar sua cor e seus reflexos.

2o Passo

O segundo passo e tão importante quanto para conseguirmos apreciar as potencialidades totais é fazer o giro do líquido contido no copo. Com a taça já inclinada, faça movimentos para a direita ou para a esquerda. Isto sem derramar uma gotinha sequer, é claro.

Repare bem que o objetivo aqui não é demonstrar domínio acrobático, mas sim aerar a bebida para que ela interaja com o oxigênio e libere todos os seus aromas. Vale ressaltar que os giros podem ser rápidos, lentos ou ritmados.

Atenção: aos novatos, recomenda-se fazer tais movimentos sempre com a taça apoiada sobre uma mesa para evitar desastres!

3o Passo

Mais lento, porém a pedra fundamental para aprender como degustar vinho corretamente! Apresenta-se o vinho ao olfato de maneira simples e natural. Deixe o aroma repousar por alguns instantes próximo ao nariz e repita novamente o processo do giro (2o Passo) para que sejam identificados os elementos que compõem o aroma.

4o Passo

Por fim, coloca-se o líquido na boca e, mastigue-o! Isto mesmo, não vá ingerindo de uma vez. Aqui é preciso que a bebida seja sentida em toda a cavidade bucal para que, somente depois, escorra pela língua e passe pelo palato. Essas ações permitem reconhecer o corpo, a consistência, a pungência e a maciez (ou aspereza) do vinho.

Nesse passo é permitido fazer o tal do biquinho com a boca, ação que intriga os não especializados, mas que permite sugar um pouco de ar. Lembre-se: o oxigênio reage com o líquido, este, por sua vez, sofre breve evaporação, e é isto que auxilia o degustador na percepção de outros aromas ainda não notados na boca.

Veja que somente depois de todo esse ritual, é que ingerimos a bebida e estamos habilitados a verificar um possível amargor no fim da língua e o calor na garganta, provocado pelo álcool.

Vai, não é tão complicado assim, não é mesmo?

Espero que tenha gostado. Lembre-se de que para aproveitar ao máximo as propriedades de um vinho, é preciso que haja um ritual mesmo, com trejeitos ou sem eles. Vá treinando aos poucos e, com o tempo, perceberá como degustar vinho corretamente pode ser mais fácil do que imaginava.

Continue acompanhando nossas postagens e conheça cada vez mais sobre o universo da enologia! Inscreva-se no caminhosevinhos.com para receber as novidades diretamente em seu e-mail, gratuitamente. Participe também do nosso Clube do Vinho, em nossa fanpage. Será um prazer tê-lo sempre conosco.

 

Um grande abraço, e tim-tim pra você!

Tags
Mostre mais

Cris Oliveira

Cris Oliveira, Empreendedora Digital, Entusiasta da Enologia, Especialista em Língua Portuguesa, Blogueira.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *