Glossário

O que é Perlage?

Quem é apreciador de vinhos, nem sempre é conhecedor de todos os termos que se referem ao universo da bebida, não é mesmo? Afinal, há diferenças entre aqueles que são especialistas e os que gostam do tema, mas não são detentores das técnicas da enologia. E uma das perguntas que sempre aparece é: O que é Perlage??

E, afinal, quem nunca vivenciou aquela situação de parar em frente à seção de vinhos em um supermercado e ficar na maior dúvida sobre uma escolha, particularmente no que se refere aos espumantes, por não saber o significado de algumas informações contidas nos rótulos? Pois bem. Se você se identificou, não fique envergonhado, porque eu mesma já passei por essa situação algumas vezes.

Por isso, vamos tratar neste artigo sobre o que é perlage, a origem do termo, qual seu papel e como se classifica. Vamos lá? Ah, e continue acompanhando as nossas postagens e tire todas as suas dúvidas sobre o universo do vinho de uma maneira simples, com linguagem leve e objetiva.

O que é Perlage?

Perlage são as borbulhas de gás carbônico formadas quando servimos espumante ou champagne e que sobem desde o fundo até a superfície da taça. Essas “bolhinhas” podem ser divididas em três categorias e a presença delas revela muito sobre a bebida.

A origem do nome

O termo é masculino (diz-se, portanto “o perlage” e se pronuncia com o “la” mais prolongado), originário do francês e cujo significado literal é “colar de pérolas”. É ele quem caracteriza espumantes e champagnes e, a depender das uvas utilizadas para a produção das garrafas, podem ter características bastante específicas.

Qual seu papel?

O papel dele, como você já pôde perceber no tópico anterior, é caracterizar os espumantes. Mas não fica apenas nisso. As tais “bolhinhas de gás” também ajudam classificar a qualidade do vinho, assim como a identificar os tipos de uvas que foram utilizadas para obtenção da bebida.

Para você compreender bem, vamos ao exemplo: espumantes e champagnes feitos a partir de uvas do tipo Chardonnay tendem a oferecer borbulhas menores e mais delicadas. Já quando comparamos bebidas obtidas por meio das Pinot Meunier e Noir, temos uma quantidade bem maior de bolhas.

Como se classificam?

Eles se classificam em três categorias: tamanho, durabilidade e persistência e quantidade. Estes elementos juntos auxiliam muito na hora de entendermos melhor a própria bebida. Veja:

  • Tamanho: aqui, as borbulhas de gás carbônico são divididas em grosseiras, grandes, médias, finas e muito finas. Aqui, quanto mais finas, melhor a qualidade;
  • Durabilidade e persistência das borbulhas: neste aspecto, subdividimos em evanescente, pouco persistente, suficientemente persistente, persistente e muito persistente. Quanto maior a persistência, melhor será a bebida;
  • Quantidade de borbulhas: muito escassa, escassa, pouco numerosa, suficientemente numerosa, numerosa e muito numerosa. Do mesmo modo que nas características anteriores, prevalece a regra do quanto mais melhor. Ou seja, se as borbulhas forem muito numerosas, a bebida será de excelência.

 Viu como é simples? Sendo assim, lembre-se de verificar o perlage da bebida selecionada. Desta forma, você consegue identificar a qualidade dela: se baixa, média ou alta. Aqui ainda cabe uma dica final: o espumante Moscatel da Casa Perini é considerado um dos melhores de sua categoria. Além de ser um vinho brasileiro bom e barato!

Espero que tenha gostado. Continue acompanhando nossas postagens e conheça cada vez mais sobre o universo da enologia! Também aproveite e se inscreva para receber as novidades diretamente em seu e-mail, de forma gratuita. Participe também do nosso Clube do Vinho, no Facebook. Será um prazer tê-lo sempre conosco.

Um grande abraço, e tim-tim pra você!

Tags
Mostre mais

Cris Oliveira

Cris Oliveira, Empreendedora Digital, Entusiasta da Enologia, Especialista em Língua Portuguesa, Blogueira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *